Tradutor/Translator

10 de jan de 2010

Efêmeros

A primeira vez que li sobre esses insetinhos foi no livro "Semente do Diabo", do escritor David Seltzer, também criador de "A Profecia", e eles, os efêmeros, duram apenas uma noite, onde nascem, voam, têm seu namorico ao luar e então, morrem. Não sei por quê, mas isso me impressionou bastante. A energia, a força que não desiste, não cansa, de sobreviver nem que seja através do seu descendente, a paz de morrer com o sentimento de missão cumprida. Não, acho que eles não pensam nisso tudo. Esse é o carma humano, o de viver sabendo que vai morrer e pode morrer a qualquer instante e Thor! são tantas e várias e chocantes e estúpidas e banais, as formas. E o pulso ainda pulsa.
Pois, estava eu, viajando sem rumo pela rede, quando deparei com duas reportagens recentes, uma de dezembro do ano passado (tão pertinho) e uma dessa semana.
A primeira, não veio para nossos noticiários, ou eu não prestei atenção, mas fiquei de boca aberta.

08/12/2009, Noruega:

Segundo reportagem do Daily Mail, das cidades de Trøndelag a Finnmark, moradores disseram ter presenciado as estranhas luzes, que acreditam ser um meteoro ou um teste de foguetes russo.
O fenômeno começou quando uma luz azul surgiu de trás de uma montanha, parou no meio do ar e começou a girar. Em segundos, uma espiral gigante teria se formado e coberto o céu.
Então, um feixe azul-esverdeado de luz saiu de seu centro, durando entre dez e 12 minutos antes de desaparecer completamente. A reportagem afirma que, segundos após o incidentes, o Instituto Meteorológico da Noruega foi inundado de telefonemas – e que muitos astrônomos não acreditam que as luzes estejam ligadas às auroras, fenômenos comuns na região.
O Controle Aéreo de Tromsø alegou que o acontecimento durou apenas dois minutos, mas admitiu que foi muito tempo para ser um fenômeno astronômico.
Em entrevista à imprensa norueguesa, o pesquisador do Observatório Geofísico de Tromso Truls Lynne Hansen disse ter certeza de que a luz foi causada por um lançamento de míssil – que, provavelmente, teria perdido o controle e explodido.
O porta-voz da Defesa Norueguesa Jon Espen Lien teria dito que os militares do país não sabiam do que se tratava, mas que era provavelmente um míssil russo.
No entanto, ainda segundo o Daily Mail, a Rússia negou ter feito qualquer teste de mísseis na região.

07/01/2010, Washington DC:

Cientistas identificaram uma estrela a 3.260 anos luz da Terra que pode se transformar em uma supernova e, nesse caso, ameaçar a camada de ozônio do planeta tornando-o inabitável.

Os astrônomos americanos que identificaram a "bomba relógio" a partir de imagens do telescópio Hubble anunciaram a descoberta na reunião da Sociedade Americana Astronômica (AAS, na sigla em inglês), nesta semana, em Washington DC.

De acordo com o astrônomo Edward Sion, da Villanova University, na Filadélfia, a estrela T Pyxidis parece destinada a explodir com força para se transformar em uma supernova - corpos celestes que surgem depois de explosões de estrelas com mais de 10 massas solares.

A esta distância, dizem os astrônomos, a explosão com força estimada de 20 bilhões de bilhões de bilhões de megatons de TNT poderia destruir a camada de ozônio da Terra, deixando o planeta vulnerável a radiações.

A estrela já apresentou explosões menores no passado, em intervalos constantes de aproximadamente 20 anos, em 1890, 1902, 1920, 1944 e 1967. Mas a estrela não apresenta explosões há 44 anos, e os astrônomos não sabem a explicação.

Um novo estudo usando informações do satélite International Ultraviolet Explorer mostrou que a T Pyxidis está muito mais próxima da Terra do que se imaginava e que se trata, na verdade, de um sistema com duas estrelas em que uma delas atua como sol, e a outra, menor e mais densa, como anã branca.

A anã branca está ganhando massa com o gás vindo da estrela vizinha. Se sua massa ultrapassar 1,4 vezes a massa do sol - o chamado Limite de Chandresekhar - ela está destinada à sofrer uma poderosa explosão termonuclear que a destruiria e que poderia afetar também a Terra.

Não acredito que um fato tenha ligação com o outro, embora sejam de ordem astronômicas. Abaixo, imagens da Noruega e seu estranho fenômeno.

Um comentário:

  1. Tenho uma idéia, mas vou tentar vender a idéia e ficar milionário ...

    ResponderExcluir

Tua vez, aproveite.