Tradutor/Translator

10 de abr de 2010

"ET, home...my home"







Até pouco tempo atrás eu mantinha um "Blog dos Sonhos", baseado num livro em que eu li, não recordo o nome, que era interessante escrever os sonhos que temos e como eu tenho sonhos interessantes, comecei a transcrevê-los. Daí, parei. Mas, ele continua lá, e acho que vou passar alguns pra cá, em forma de minicontos, deve ficar bom.
Bom, nessa noite, tive um sonho bem...interessante.

Estava andando na rua, com a minha mãe e encontramos algumas pessoas, no sonho, conhecidas, cumprimentamos e tal, e nisso, soou um alarme. Dizia que a população de Porto Alegre estava sendo invadida por objetos não identificados e que a Força Aérea estava lá pra proteger-nos. De fato, olhei pro céu e estava cheio de aviões caça. Mas, não vi nenhum O.V.N.I. Só uma espécie de cerração densa, muito densa que foi descendo feito uma camada de flocos de gelatina sobre toda a cidade.
Fiquei no chão, deitada, junto com os outros, mas aquela manta cobriu a todos que estavam ali.
Devo ter acordado em outro lugar, já não tinha mais aquela cerração, agora estava meio escuro. A sensação era de que eu flutuava numa sala, porém, não conseguia sair do lugar, só mover os braços e pernas, devagar. Havia outras pessoas ali, como eu. E alguém mais que estava nos observando (?).
De repente, na minha frente, um monte de "bichinhos" estranhos, meio transparente, gelatinoso e com tentáculos, deviam ter uns 30 cm, vinham na minha direção e soltavam uns guinchos fininhos. Percebi então, que nos meus pulsos, havia um tipo de "bracelete", só que parecia orgânico, também de um esbranquiçado transparente, e com uma ponta em cada um. Eu lancei meu braço, instintivamente, em direção a um daqueles bichos e a ponta que pendia do bracele virou um laço e se enroscou no bicho. Foi meio engraçado e apavorante, porque eu levei um susto e comecei a balançar aquela "coisa" até que ela se soltou e veio furiosa na minha direção. Então, o "observador" (?) deu uma pisada, esmagando o pobre do bicho (pro meu alívio!). O estranho era que o pé calçava botas de couro marrom.

3 comentários:

  1. Observador? Bracelete orgânico? Botas de couro marrom? No mínimo 5 anos de psicanálise! 4 vezes por semana! =)

    Bj!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo texto, me surpreendi com o teu blog de uma maneira geral.
    Os temas são contados a partir de uma visão muito íntima e ao mesmo tempo conseguem falar a linguagem da universalidade.

    ResponderExcluir

Tua vez, aproveite.