Tradutor/Translator

22 de dez de 2010

Aumentável Ano Novo




Não gosto de falar sobre determinadas coisas, nem em rodinhas de conversas, mesa de bar ou sofá, e política está nessa lista. Há meandros inexpugnáveis e absurdamente sujos e cheios de sacanagem na disputa. O que torna muito difícil separar a água do vinho, se de fato ainda existir tal separação.
Mas é impossível abrir o jornal de manhã ou assistir o noticiário e não ficar @#%#$%#$% da cara ao ouvir sobre o "auto-aumento" dos deputados.
A Assembléia deveria ser proibida de decidir seus próprios salários, isso não é democracia. É uma tremenda falta de sensatez, uma discrepância esse aumento abusivo. E ainda escuto que é um reajuste defasado. Valha-me Cristo! Se fosse um X-Man entraria em chamas nesse exato momento, de tanta raiva.
Agora, por reação em cadeia, os deputados da Assembléia Legislativa de Porto Alegre também aprova 75% de aumento aos seus "trabalhadores".
Têm coragem de falar em defasagem recebendo mais de 11 mil por mês para, como sabemos, a maioria praticamente nem aparecer na Assembléia, viajar de graça, morar de graça - no caso dos que residem em Brasília - e inúmeros outros benefícios, custando em média à União um valor mensal em torno de 86 mil cada.
Por quê?? Para quê??
Ouvi um desses "trabalhadores" dizendo que "ganhando mais não há corrupção". Então, nessa lógica, quem ganha um salário mínimo no valor mensal de $510,00 - pagando moradia, alimentação, vestuário, água, luz, necessidades básicas e pagando suas contas - teria direito de embolsar qualquer coisa que visse dando sopa pela frente. No entanto, sabe-se que a classe C, essa sim, Trabalhadora, é a que mais honra seu nome.
É um absurdo o que se vê sem poder fazer nada. Estou me sentindo estuprada emocionalmente com esse aumento abusivo, nojento, pérfido e exatamente o oposto do que esses homens no e com o poder, deveriam estar fazendo, que assim como os médicos, deveriam fazer um juramento antes de assumir qualquer cargo público, que é o de zelar pelo direito e pela dignidade de seu povo.

Um comentário:

Tua vez, aproveite.