Tradutor/Translator

27 de fev de 2009

Placar final: 1 x 1


- Bia, esse é o Carlos.

Minha amiga me ama, certamente. Nessa última semana, esse é o terceiro que ela me apresenta; diz que estou sozinha e preciso conhecer pessoas diferentes.
Nos instantes entre dizer ‘oi’ e os ‘três beijinhos’, lembro dos outros e chego a sentir vertigens.

- Oi, tudo bem?

É, até que a voz dele é agradável. E não tem mau hálito. Nem anel de compromisso. Da última vez, resultou até em uma de minhas resoluções de ano novo: nada de homens casados, é furada e das grandes.
Carlos sentou ao meu lado. Deve ser porque simpatizou comigo ou está matando cachorro à grito ou é daqueles que não sendo kilt ele está disposto? Certo, não sou de se jogar fora, mas ele parece bem mais jovem e tem pernas lindas.

- Vi você esses dias, perto da prefeitura. Trabalha por ali?

Viu-me? Que surpresa, já me conhecia de vista. Interessante, geralmente eu os vejo bem antes.

- Sim, e você?

Boa oportunidade para saber mais sobre o rapaz.

- Não, fui comprar chuteiras.

Argh!!! Joga futebol! Com mil campinhos, a vida inteira fugi dos caras que gostassem-assistissem-jogassem futebol e nos finais de semana, somem em churrascos depois do jogo com os amigos. Se bem que, os que eu preferi, sumiam da mesma forma.

Olhei de novo para o homem ao meu lado. Simples, sorridente, tomando sua cerveja e falando alto. O oposto daqueles que já conheci, cheios de complexos dramas pessoais, depressivos, estetas, que ouviam jazz e liam clássicos, bebericando vinho e reclamando da vida.

- Semana que vem será o campeonato entre cidades. Gostaria muito que fosse.
Sorri e aceitei, prontamente, tomando mais um gole de cerveja. Nunca o simples me pareceu tão atraente.

2 comentários:

  1. é, esses sim são bons! homem bom são assim, mais macho, mais bronco, sem ser burro.
    Mulher quer homem sensível, mas só amigo gay.
    Gostei dele, vou torcer!beijos

    ResponderExcluir

Tua vez, aproveite.