Tradutor/Translator

15 de jul de 2009

Os Gatos



Os amantes febris e os sábios solitários
Amam de modo igual, na idade da razão,
Os doces e orgulhosos gatos da mansão,
Que como eles têm frio e cismam sedentários.

Amigos da volúpia e devotos da ciência,
Buscam eles o horror da treva e dos mistérios;
Tomara-os Érebo por seus corcéis funéreos,
Se a submissão pudera opor-lhes à insolência.

Sonhando eles assumem a nobre atitude
Da esfinge que no além se funde à infinitude,
Como ao sabor de um sonho que jamais termina;

Os rins em mágicas fagulhas se distendem,
E partículas de ouro, como areia fina,
Suas graves pupilas vagamente acendem.

Baudelaire

Stray Cats - Stray Cat Strut


2 comentários:

  1. Baudelaire, uhu!
    Bacana esse mix de texto, música e fotografia.
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Falando no cara:

    A MÚSICA

    A música as vezes me arrasta como o mar!
    No encalço de um astro,
    Sob um teto de bruma ou dissolvido no ar,
    iço a vela ao mastro;
    O peito para frente e os pulmões enfunados
    Tal qual uma tela,
    Escalo o dorso aos vagalhões entrelaçados
    Que a noite me vela;
    Sinto que em mim ecoam todas as paixões
    De um navio aflito;
    O vento, as tempestades e suas convulsões
    No abismo infinito
    Me embalam. Ou então mar calmo, espelho austero
    De meu desespero!

    Baudelaire/As Flores do Mal

    ResponderExcluir

Tua vez, aproveite.