Tradutor/Translator

27 de out de 2010

Agorafobia

Cada vez piora a situação. Quando saio, procuro verificar horários, lugares. A hora do rush pra mim é praticamente insuportável. Desenvolvi algumas técnicas quando não posso fugir disso. A primeira é carregar sempre um mp3. Coloco os fones e olho sempre na linha do horizonte, percebendo cada nota musical percorrer do tímpano até o córtex. A outra, é olhar para baixo, aconteça o que acontecer, sempre fixar o chão e respirar profunda e vagarosamente.
Junto disso é a irritação e talvez tudo tenha realmente começado com ela.
Pessoas mal educadas que caminham e te empurram no meio da rua. Que fumam e caminham ao mesmo tempo, jogando fumaça na tua cara e por pouco não te queimam com aquele toco de cigarro balançando indiscriminadamente numa rua cheia.
Dias de chuva em que tu és quase assassinado por uma ponta de guarda-chuva fechado e pontiagudo segurado como uma lança.
Pessoas bem acomodadas nos ônibus lotados que vêem que tu estás carregado e não são capazes de ser um pouco prestativas. Que xingam quando tu abres um pouco a janela para o ar circular em dias de frio cheio de vírus da gripe.
Pessoas que furam a fila na maior cara de pau. Pessoas que são estúpidas sem a menor necessidade. No trânsito, na padaria, no supermercado, no elevador, pessoas, pessoas, pessoas, onde tu vais, sempre, sempre lotado, filas, demora, estresse, loucura, raiva, vontade de evaporar. Será que ainda viverei para usar um teleporte? Seria maravilhoso, mesmo com a possibilidade de aparecer no outro ponto com o nariz na bunda e  um pé no lugar da orelha...Tudo menos aglomeração, gente mal educada, chata, estúpida, burra e barulhenta.

E na minha set list...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tua vez, aproveite.